Fone
(51) 3594.8251 / (51) 82061212
Endereço
Av. Bento Gonçalves, 3058
Novo Hamburgo - RS - Brasil
Artigos
  

Candidíase

Desconforto entre as mulheres

A nutrição ortomolecular pode ser eficaz no tratamento da candidíase vaginal.

Entre nós mulheres, quem nunca teve os sintomas desconfortáveis da famosa candidíase vaginal? Ela vem silenciosa e de repente se manifesta, gosta de umidade, gosta de rondar o período menstrual, ou aparece quando o nível de estresse está grande, após um período de tensão ou ansiedade, ou naquele período de praia ou piscina. Não há quem agüente tanta perseguição. E, às vezes, não larga por meses ou anos o seu hospedeiro, sendo que as preferidas são as mulheres!

A gravidez, a diabetes mellitus, os anticoncepcionais, os hábitos de higiene e os vestuários inadequados estão relacionados com o aparecimento de candidíase. O pior é que este terrível fungo persiste aos tratamentos à base de fungicidas, seja de forma oral ou tópica.

A candida albicans é o fungo que vive na superfície da pele e nas mucosas da boca, da vagina e do trato intestinal. Ele é que dá o “sapinho”, o corrimento vaginal que tem aparência de leite talhado e que coça muito. Na pele manifesta-se na forma de assadura, dá nas dobrinhas, especialmente nas áreas úmidas como axilas, entre nádegas, no umbigo, testículos e nas bundinhas dos bebês. Já no meio dos dedos dos pés é a famosa frieira, e na boca gosta dos cantos, a chamada boqueira. Nosso sistema imune produz anticorpos contra a candida, e os sintomas só aparecem quando existem quantidades excessivas.

Outro fator interessante foi a descoberta de que altos níveis de estresse aumentam o colesterol em longo prazo, pois o estresse está vinculado ao maior ritmo cardíaco e a um sistema imunológico enfraquecido que predispõe a uma série de processos inflamatórios que também aumentam a produção de colesterol!

Ação do fungo

A candidíase é mais fácil de ser tratada no começo, quando os fungos ainda não desenvolveram micélios. Quando os desenvolvem, entram na corrente sanguínea, se espalham e a erradicação fica cada vez mais difícil. Procurar sempre a ajuda do seu médico ginecologista é muito importante.

Segundo Sonia Hirsch, pesquisadora brasileira sobre parasitoses, uma série de sintomas podem ser consequência de candidíase crônica. Entre elas: alergias, dores abdominais, gases, irregularidade intestinal, queda de cabelo, estragos nas unhas, enxaquecas, infecções urinárias, irritabilidade, falta de energia, entre outras tantas. Tratamentos longos à base de antibióticos de largo espectro, como tetraciclina e cloranfenicol, podem predispor ao desenvolvimento da candidíase, provavelmente porque matam micróbios normalmente antagonistas dos fungos, comenta esta pesquisadora. Segundo um médico americano chamado Pat Lazarus, “a candidíase é causada pelo crescimento excessivo do fungo candida albicans no intestino e a liberação das toxinas que a partir dali são absorvidas e transportadas para o resto do organismo afetando negativamente todo o sistema imunológico”, explica o médico.

Reações

Uma boa notícia entre tanto desespero, é que a nutrição ortomolecular é capaz de repôr nutrientes indispensáveis ao sistema imunológico como o zinco, o cobre, o germânio, e o selênio, entre outros, ajustando o sistema imunológico para reagir contra os fungos. Além dos minerais, a utilização de lactobacilos - milhões deles - auxiliam no equilíbrio da microflora vaginal, diminuindo as recidivas da infecção.

Procurar descobrir as intolerâncias alimentares é outro passo importante, pois se diariamente ingerimos alimentos que o organismo não tolera, estamos sistematicamente prejudicando a eficácia do sistema imunológico. Um dos alimentos campeões de intolerâncias alimentares é o leite de vaca. Isso se deve à dificuldade do organismo em degradar a lactose, que é o açúcar do leite, que pode aumentar a predisposição da proliferação dos fungos. Sem falar que eles gostam muito de carboidratos simples e açúcar! Mas, as intolerâncias alimentares são características muito individuais e os organismos reagem de forma diferente a cada grupo de alimentos.

Associado à reposição de minerais, dispomos de uma técnica moderna e inovadora que é a imunoterapia ativada, realizada e supervisionada pela Dra Dra. Berenice Michelini (CRM 9489), médica homeopata da Clínica de Nutrição Ortomolecular.

Com a associação das técnicas de reposição de minerais e a aplicação da imunoterapia ativada, melhoramos as condições do próprio organismo de se defender dos microorganismos, promovendo um resultado efetivo e duradouro para este problema que atinge muitas mulheres.

  
Desenvolvido por Pág1